“Cidade da Ribeira Brava – S. Nicolau : Um contributo para a História do Urbanismo, Arquitectura e Artes Decorativas”.

15/10/2013

Professor Doutor LOURENÇO GOMES, do Departamento de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Cabo Verde. 
 
data:  15/10/2013 | terça -feira| horas: 09h00
 
 local: Auditório da Reitoria da Uni-CV/Plateau.

A equipa do CIDLOT/UNICV vem por este meio convidá-lo(a) assistir à 17ª conferência no quadro da 3ª edição do Ciclo de Conferências Cidades e globalização: perspetivas a partir do Sul Global que terá lugar  dia 15/10/2013, a partir das 09h00 no Auditório da Reitoria da Uni-CV/Plateau.

A conferência será proferida pelo Doutor LOURENÇO GOMES, do Departamento de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Cabo Verde. A conferência será subordinada ao título Cidade da Ribeira Brava – S. Nicolau : Um contributo para a História do Urbanismo, Arquitectura e Artes Decorativas”.

>> RESUMO DA CONFERÊNCIA

A Ribeira Brava é hoje uma cidade que pode ser descrita como um sítio histórico, inserido num espaço geográfico bem característico e tem uma história à qual se liga o passado da ilha de S. Nicolau. O seu centro histórico, constituiu a primeira experiência de reconhecimento de um bem como património nacional em Cabo Verde, após a Independência Nacional.

É possível observar ainda vestígios da permanência, no tempo, de uma identidade própria na área urbana mais antiga do burgo (aglomerado adjacente ao local, toponimicamente, conhecido como “Passagem”) e eixos urbanos (largos ou praças e ruas) bem representativos do passado desta urbe, sendo de se realçar, nos mesmos eixos, obras de arte pública decorativa e edifícios históricos bem imponentes nas suas envolvências. Em primeiro lugar, é possível descrever e analisar, no largo do Terreiro, de grande simbolismo pela sua funcionalidade em todos os tempos, além da graciosa obra de arte pública decorativa, que é o busto oitocentista do Dr. Júlio, construções com estéticas arquitectónicas bem definidas. Desde aquela de cariz religioso (a monumental e a Neoclássica-romântica Igreja de Nossa Senhora do Rosário – última remodelação, no século XIX, em 1898), passando-se para, uma composição para fins educativos (Escola Central-1948) e as bem expressivas construções civis (casas senhoriais sobre as quais são referenciadas, entre muitas outras, mais dois exemplares de construções habitacionais desta tipologia (datadas de finais do século XVIII, inícios do Séc. XIX), na Rua Direita, dotada esta de especificidade própria, na Cidade.

Os olhares podem ainda ser dirigidos às duas praças da área descaída para o lado oriental da Cidade. Aí é realçado, uma vez mais, o espírito decorativo da cidade, representado pela presença de um belo chafariz antigo, que se encontra muito bem preservado e se assemelha ao ornamento de uma habitação, (numa analogia da praça numa cidade, como sala de visitas de uma casa), bem como a estátua do escritor Dr. Baltazar Lopes da Silva, impregnada de forte realismo, no trabalho escultórico de leão Lopes. Nesta área urbana impõem-se, com reverência, a praça Cónego Bouças pelo seu ajardinamento, onde se evidencia a presença de árvores frutíferas, como a mangueira (Mangifera índica L.) e a construção de prestígio que é o edifício do Paço do Concelho.
No extremo mais oriental do Centro Histórico referencia-se o simbolismo da obra arquitectónica do Seminário/Liceu (com estas funções de 1866 a 1917) que tem, nas suas proximidades, aquilo que pode ser tomado como uma estação ecológico-geológica, o Penedo (topónimo do lugar, por razões óbvias). Sem se exceder nas na evidenciação dos valores histórico-culturais do Centro Histórico da Ribeira Brava, importa, além do eixo urbano que é o Largo de Nossa Senhora da Graça, (bairro de S. João), de grande simbolismo religioso do passado ainda evidente no elemento especial de ornamentação desse eixo (a estatueta de Nossa Senhora), aludir-se à bela Enfermaria Regional (1947) que se evidencia não só pelo especial interesse histórico-cultural que encerra, mas também, por ser uma peculiar composição arquitectural que constitui a expressão mais viva da estética arquitectónica Déco em S. Nicolau. Evidente se torna realçar que nas proximidades desta obra arquitectónica de cariz sócio sanitário, não passa despercebida, ao observador, a não menos bela edificação (Igreja do Nazareno (1984), expressiva da cultura religiosa protestante na ilha.

.

>> RESUMO BIOGRÁFICO

Lourenço Conceição Gomes é Doutor em História pela Universidade Portucalense – Porto em 2008 e, actualmente, desempenha as funções de docente e Coordenador da Área/Curso de História. É Presidente da “The Antonio de Noli Academic Society” e membro fundador da Cátedra Amílcar Cabral na Uni-CV. Além de publicações em revistas de especialidade deu à estampa três obras bibliográficas: “Urbe Memória e Crítica da Arte”, das Edições Uni-CV, Nhô N’Ton Julinhe e Nhô Candinhe: duas referências do Património Cultural da Ilha de S. Nicolau” (co-autoria), editado pela Colibri Edições, de Portugal, ambas publicadas em 2011, Da Noli a CappoVerde. Genova, Editora Sabatteli, (co-autoria), em 2013.

>> Moderadora: Professor Doutor Arlindo Mendes – DCSH, Universidade de Cabo Verde

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: